sábado, 20 de dezembro de 2014

MARINA DA GLÓRIA, ÁRVORES AO CHÃO

A divulgação do novo projeto para a Marina da Glória ainda não veio a público. Porém a movimentação de obras naquele trecho do Parque do Flamengo é intensa. O blog recebeu várias fotografias do local. Reproduzimos a seguir. Árvores já foram cortadas. Deveria haver uma explicação a respeito. O que parece impossível.

NOTA: v. a postagem A ELITIZAÇÃO DA PAISAGEM PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE, artigo de Antônio Guedes. Posts anteiores sobre o assunto tem os marcadores Marina da Glória, Tombamento, Parque do Flamengo e IPHAN.


Urbe CaRioca


Em 03/12/2014







____________________

Em 04/12/2014

Com árvores

Sem árvores


_________________

Lacerda, lá do Céu dos Governadores da Guanabara, continua apreensivo. Papeia a respeito com Lota Macedo Soares, no Céu ao lado, o dos Protetores do Rio.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

MENSAGEM DO MOVIMENTO OCUPA GOLFE


Depois da remoção das barracas de lona pela Prefeitura, no início da semana, a criatividade do carioca ressurgiu na forma de
Segundo os organizadores, a ocupação pacífica em questão tem amparo constitucional e não infringe nenhuma outra lei.
Foto: Golfe para Quem?


Na madrugada de 18/12 a Guarda Municipal providenciou a desocupação do canteiro lateral da Avenida das Américas onde um grupo defensor da Reserva Ambiental de Marapendi estava acampado e divulgava o escandaloso caso da obra que retirou 45 hectares do Parque Municipal Ecológico Marapendi. O movimento Ocupa Golfe convida para nova manifestação no local, conforme mensagem abaixo divulgada nas redes sociais.

Urbe CaRioca

DIVULGAÇÃO


"É HORA DE UNIÃO!

Estamos chegando a 14 dias de ocupação! Em poucos dias conseguimos alguns dos nossos objetivos, como chamar a atenção da mídia local e aumentar o número de pessoas conscientizadas sobre o grande escândalo que é a Construção do Campo de Golfe na Barra da Tijuca, responsável pela destruição de uma área de Reserva Ambiental correspondente a 100 campos de futebol!

Amanhã, faremos um ATO no local. Haverá panfletagem, música e várias outras atividades, onde poderemos conversar pessoalmente e nos organizar melhor.

A sua presença é fundamental, pois JUNTOS, SOMOS MAIS FORTES!

GARIS, PROFESSORES, SERVIDORES PÚBLICOS EM GERAL, ESTUDANTES, VÍTIMAS DA SAÚDE PÚBLICA, VÍTIMAS DAS REMOÇÕES ARBITRÁRIAS, todos os Cidadãos que não se conformam e não aceitam passivamente os desmandos do atual Governo da Cidade do Rio de Janeiro, são mais que bem vindos!

Neste sábado (20/12/2014): 15:00 h - Na Av. das Américas, n.º 10.001, um pouco antes da Estação BRT Rio Mar.

Traga sua água, protetor solar e o seu Guarda-Sol!"

Ocupa Golfe, 19/12/2014

Internet


Artigo - A QUE SERVE O BRT?, de Ex-Blog


A análise abaixo foi publicada originalmente na Newsletter Ex-Blog  de 17/12/2014.

O tema Mobilidade Urbana tem estado presente há tempos em discussões de especialistas, seminários, nas páginas da mídia impressa e virtual, mas, principalmente, ao vivo, todos os dias e todas as horas na Cidade do Rio de Janeiro, problema sentido pela população indistintamente, seja na que usa o transporte público – ônibus, trens, Metrô - ou na que se locomove de carro - particular, táxis, vans – com evidente desvantagem para o primeiro grupo.

No artigo, considerações sobre a opção adotada recentemente na urbe carioca, que descartou, por exemplo, a Linha 6 Metrô, conforme projetos antigos para esse modal.

Boa leitura.

Urbe CaRioca




A QUE SERVE O BRT?


Ex- Blog do Cesar Maia

          
1. O governo federal tem priorizado e se associado aos investimentos de prefeituras nos BRTs - ônibus articulados correndo em canaletas/corredor. Belo Horizonte, Recife e Rio são exemplos. É um projeto polêmico, pois as estações não têm conexão com outras linhas, como ocorre no "ligeirinho" de Curitiba. São corredores lineares, sem conexão que atravessam bairros.
          
2. A travessia dos bairros divide os mesmos ao meio, repetindo os problemas históricos dos trens suburbanos no Rio de Janeiro. Isso afeta o comércio, desintegra as relações de vicindade e gera riscos de acidentes nas travessias. No Rio já são contados às dezenas estes acidentes, com outros veículos e com pessoas.
          
3. Além disso, o corte das linhas de ônibus interbairros para garantir um alto IPK (índice de passageiros por km) e a ausência de integração para grande parte dos bairros gera um custo adicional para a conexão. E o tempo economizado durante o transporte linear é superado, em muito, pelas necessidades de conexões. Agregue-se os problemas que acarretam para os que vivem na periferia dos bairros, seja pela necessidade de conexão, seja pelo deslocamento a pé.
          
4. O projeto do BRT foi apresentado pela Federação de Transportes do Rio há mais de dez anos, no boletim semanal ou quinzenal que divulgava como publicidade nos jornais. O projeto, na época, não caminhou porque as empresas não deram solução para as conexões e para o acesso dos passageiros que moram afastados do corredor do BRT. O custo para as pessoas aumentava, assim como o tempo de deslocamento quando exigida conexão.
          
5. A questão que envolve essa decisão das empresas de ônibus leva em conta a insustentabilidade de um sistema que, só no Rio-capital, funciona com 9 mil ônibus. Os conflitos com os usuários, os problemas de trânsito, o transporte público como foco da imprensa e reclamação das pessoas, as pressões dos políticos, as convergências/divergência, com os três poderes..., levaram consultores das empresas de ônibus a projetar uma curva negativa crítica já em médio prazo.
         
6. Dessa forma, a proposta foi reduzir drasticamente o número de ônibus em circulação, minimizando as tradicionais relações políticas e aliviando as pressões sociais. Para isso, havia dois caminhos: o sistema se associar ao transporte sobre trilhos, ou criar um novo sistema em base às experiências de outras cidades. Dada a impossibilidade de associação ao Metrô/Trens pelos os investimentos requeridos e o funcionamento sob regime de concessão, adaptou-se a visão de Lerner. que chamou de Metrô Sobre Rodas.
          
7. Mas essa adaptação ocorreu com simplificação drástica e redução de investimentos. Daí saiu o BRT - um corredor linear desconectado. Com a redução do número de linhas de ônibus, o IPK cresceu imediatamente e assim o retorno do investimento. Na medida em que o sistema BRT é de controle eletrônico facilitado, as desconfianças sobre sonegação de informações e -por isso- também de tributos, simultaneamente, reduz a dependência anterior das empresas de ônibus aos políticos e aos poderes.
         

8.  Do ponto de vista da higienização política do sistema é um avanço e um objetivo positivo das empresas. Do ponto de vista da mobilidade/custo, desenho urbano, acesso, etc., é um retrocesso em relação ao transporte porta a porta, criticado por afetar o tráfego, mas requerido para o conforto das pessoas. Solução mesmo seria ampliar muito o transporte de massa sobre trilhos e usar o sistema sobre rodas para abastecê-lo onde for necessário e/ou integrar o sistema base com as linhas -digamos- vicinais.

Wikimedia


quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

BRAVA GENTE BRASILEIRA OCUPA GOLFE



OUTRA AÇÃO, OUTROS TEMPOS. OUTROS VALORES. EM 2005.



Uma dura ação. De brava gente determinada. Em 2014.


Protesto pacífico em defesa da Cidade do Rio de Janeiro e do Meio Ambiente, contra a devastação da reserva e a eliminação de 45 hectares do Parque Municipal Ecológico Marapendi, na Barra da Tijuca.

A duração do movimento Ocupa Golfe é indeterminadaCorre nas redes sociais abaixo-assinado divulgado pelo site Panela de Pressão que pede o apoio dos vereadores para instalação de CPI sobre a obra do campo. Assinar é bem simples. O link está AQUI


Ocupa Golfe - Filmado em 16/12/2014




                                      


______________________

Como aconteceu, ao apagar do ano de 2012 - Vídeo disponível no Youtube

FOI HÁ DOIS ANOS, NA VIRADA DE 2012/2013. Está tudo explicado no blog Urbe CaRioca, antes, durante e depois da aprovação da lei famigerada. "É um escândalo, é um escândalo de final de ano! É um roubo..." disse Sonia Rabello, então vereadora. Para entender, ler O PACOTE E O BODE.

Imagina-se uma apresentação organizada, argumentos contrários e a favor, mapas e explicações técnicas para que Suas Excelências possam decidir sobre matéria de tal importância com embasamento sólido. Nada parecido. Abaixo, como são aprovadas as leis urbanísticas no Rio de Janeiro, no caso, mais uma barbaridade urbano-carioca. Começar aos 22min e 22 seg. Neste caso, os poderes constituídos espertamente lançaram emendas estapafúrdias desviaram a atenção do não menos estapafúrdio projeto de lei, para, após os fogos de fim de ano, o prefeito do Rio, magnânimo, sancionar a Lei Complementar 125/2013 alegando que as emendas eram prejudiciais e as vetando. A manobra ilustra à perfeição a conhecida piada sobre colocar um Bode na Sala.





____________________

Protesto, abaixo-assinado, e CPI - Fotos: Movimento Golfe para Quem?

Protesto pacífico e coleta de assinaturas para encaminhar abaixo-assinado aos vereadores pedindo apoio à abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito que investigue o caso. Segundo o Movimento Golfe para Quem? O Ministério Público agravou a decisão do Juiz da 7ª Vara de Fazenda Pública. Há que aguardar os novos desdobramentos.


Depois da remoção das barracas de lona pela Prefeitura, a criatividade do carioca ressurge.


Cinelândia, 16/12/2014







Um ilustre carioca apoia o abaixo-assinado pela CPI do Golfe Olímpico


Outro ilustre carioca apoia o abaixo-assinado pela CPI do Golfe Olímpico


Nota de agradecimento do Movimento Golfe para Quem?


Nota de agradecimento
Ontem estivemos presentes no Prêmio Brasil Olímpico, espaço que premiou os melhores atletas pelas suas performances neste ano de 2014.
Ev...ento somente para convidados e imprensa burguesa, no entanto não poderíamos de fazer barulho pelo menos na frente do Theatro Municipal.
Pedimos a cada atleta e a cada autoridade que assinasse nossa Comissão Popular de Inquérito.
O primeiro a assinar foi o ex-atleta Robson Caetano. Torben Grael e Virna também assinaram. Nosso muito obrigado a vocês.
Jade Barbosa não assinou, mas gostaríamos de agradecê-la pela forma gentil como nos tratou. Ela quase assinou... (A gente sabe no que uma assinatura de uma potencial atleta olímpica contra um projeto olímpico pode dar).
O ator Rodrigo Lombardi nos ouviu com muita paciência e também assinou nossa CPI, agradecemos.

O futuro secretário de Transportes do Estado, Carlos Osório, falou conosco daquele jeito bem político. Nos prometeu abrir a caixa preta dos transportes (aham, tá) mas não quis assinar nossa CPI, segundo ele porque "não é da sua alçada". Ora, secretário, o senhor também é cidadão e tem garantido o seu livre direito de expressão. Não assinou porque também deve ter o nome sujo... O prazer pela conversa foi todo seu, secretário. Todo seu.
O Ministro dos Esportes, Aldo Rebelo, nem quis falar nada. Passou rápido e nem deu ouvidos ao que falávamos.
E para coroar nossa noite conseguimos abordar o Governador do Estado, Luis Pezão. Ele assinou, mas depois desistiu e foi embora (vídeo está na página)
É preciso registrar também a presença da galera do Julio Delamare e do Célio de Barros, que estão lutando pelo complexo do Maracanã! Força, compas, estamos juntos nessa!


MARAPENDI E ÁGORA – O ESPERADO, A VERSÃO OFICIAL, O ENGODO, E A VERDADE


Depois de MARAPENDI - O MONÓLOGO ENGANOSO E O CAMPO PESSOAL, de RESERVA, GOLFE, PARQUES E FAVELAS – MPRJ, VÍDEO E NOTÍCIAS e de POR 45 HECTARES - MANIFESTAÇÃO CONTRA A OBRA DO GOLFE ÀS 15H, a prefeitura publicou o relatório final do Desafio Ágora. As três publicações citadas e outras tantas anteriores explicam o inacreditável caso do campo de Golfe que retirou 45 hectares de um Parque Ecológico situado no Rio de Janeiro, a Cidade Maravilhosa que receberá de braços abertos os Jogos Olímpicos 2016.

A considerar investimentos questionáveis, o desprezo pelas verbas públicas - vide o caso do Velódromo - e tantas perdas urbanísticas e ambientais - eliminação do Autódromo do Rio, expansão urbana desenfreada e aumentos de gabaritos na região das Vargens, Barra da Tijuca, Jacarepaguá, Camorim e Recreio dos Bandeirantes, área Portuária sem habitação substituída por mais conjuntos Minha Casa Minha Vida, incentivos para hotéis predadores da cidade, e os desejos que pairam sobre a Marina da Glória e a Lagoa Rodrigo de Freitas - de braços abertos, sim, mas de cabeça baixa.

Resta aguardar o Ministério Público do Rio de Janeiro, enquanto os defensores da APA Marapendi continuam a lutar contra a desinformação geral, acampados em frente ao terreno situado na Avenida das Américas nº 10333, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, e divulgam desmandos olímpicos em vários pontos da cidade, como ontem na Cinelândia.

Abaixo, trechos do relatório final do chamado Desafio Ágora, da Prefeitura do Rio.

Urbe CaRioca










A VERDADE - 1



A VERDADE - 2


Área retirada do Parque Municipal Ecológico Marapendi, reserva ambiental
integrante da Área de Proteção Ambiental Marapendi, para a construção
de um Campo de Golfe: aproximadamente 450.000,00 m², ou, 45 ha.

Nessa medida está incluída a parte de 58.000,00 m² doada ao antigo Estado da Guanabara, portanto área já tornada pública e pertencente ao Parque. o restante seria obrigação do empreendedor dos condomínios Riserva também passar para a Prefeitura como parte do processo de licenciamento para construir, obrigação esta que, junto com a de construir a Avenida Prefeito Dulcídio Cardoso, foi dispensada em mais uma benesse urbanística prejudicial à cidade com a qual proprietários do terreno e construtores foram agraciados, entre outros favores.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

SEMANA 08/12/2014 a 13/12/2014 – CAMPO DE GRAMA x CAMPO PESSOAL, ORQUÍDEAS x CINEMA, MARINA x IPHAN e PARQUES x FAVELAS


“(...) análise de alguns pontos abordados na apresentação do alcaide, que, embora capciosa, foi bravamente conduzida por Luti Guedes, coordenador e um dos organizadores do Desafio Ágora junto com Bernardo Ainbinder, Mariana Motta e Francielly Baliana, jovens atenciosos que não mediram esforços para esclarecer as muitas dúvidas levantadas pelos apoiadores da ideia ‘Preservar o Parque...’ recebidas pelo Blog Urbe CaRioca e encaminhadas ao grupo.”

Trecho de MARAPENDI - O MONÓLOGO ENGANOSO E O CAMPO PESSOAL

 

  As inverdades começam aos 6 min. Duram 6min 26 seg




Semana anterior e textos mais lidos

O Monólogo Enganoso do Prefeito do Rio dissecado e replicado; artigos de Cleia Schiavo Weyrauch e Antonio Guedes sobre o Cinema Leblon e o novo projeto aprovado pelo IPHAN para a Marina da Glória, respectivamente; e o VÍDEO no qual o alcaide comenta as ideias classificadas no projeto Ágora, e tenta desqualificar PRESERVAR O PARQUE MUNICIPAL ECOLÓGICO DE MARAPENDI ÍNTEGRO e a proponente, cabendo relembrar que foi a sugestão mais comentada e a segunda mais votada entre 378 propostas.


NOTAS:

1.    Após a declaração espantosa do presidente do COI sobre as mascotes dos Jogos Olímpicos e o “batismo” dos estranhos bonecos, pelos cariocas, com nomes curiosos, ontem foram divulgados os nomes oficiais. Tom e Vinícius. Para saber quem é quem precisamos ver os crachás. Sem mais comentários.

2.    O movimento Ocupa Golfe está previsto para continuar até o dia 31/12.

  

Blog Urbe CaRioca




Segunda, 08/12/2014

SEMANA 01/12/2014 a 06/12/2014 – O BAIRRO REJEITADO, A MARINA VOLTA, O MONÓLOGO, E MENOS 45 HECTARES EM MARAPENDI


Segunda, 01/12/2014

SEMANA 24/11/2014 a 30/11/2014 – METRÔ 4 x 5, JUIZ x MPRJ, RELATÓRIO ÁGORA x MARAPENDI, MURIQUI x BONECOS, O GLOBO x RESERVA AMBIENTAL


Quarta, 03/12/2014

BAIRRO BARRA OLÍMPICA – MORADORES DIZEM NÃO E CRIAM ABAIXO-ASSINADO

 

Quinta, 04/12/2014 - 1

MARINA VOLTOU. A DA ENSEADA. DA GLÓRIA. NO RIO. DE JANEIRO.


Quinta, 04/12/2014 - 2

O ÁGORA, O PARQUE MARAPENDI, O GOLFE, E O MONÓLOGO DO PREFEITO DO RIO DE JANEIRO

 

Sábado, 06/12/2014

POR 45 HECTARES - MANIFESTAÇÃO CONTRA A OBRA DO GOLFE ÀS 15H


Terça, 09/12/2014

MARAPENDI - O MONÓLOGO ENGANOSO E O CAMPO PESSOAL


Quarta, 10/12/2014

Artigo: O CINEMA E AS ORQUÍDEAS, de Cleia Schiavo Weyrauch


Quinta, 11/12/2014

Artigo - A ELITIZAÇÃO DA PAISAGEM PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE, de Antonio Guedes

 

Sábado, 13/12/2014

RESERVA, GOLFE, PARQUES E FAVELAS – MPRJ, VÍDEO E NOTÍCIAS


ÁREA DESAFETADA - LEI 125/2013 - DOADA PELO SR. HOLOFERNES
E SUA ESPOSA AO ANTIGO ESTADO DA GUANABARA - 58.485,00 m²

Área retirada do Parque Municipal Ecológico Marapendi, reserva ambiental
integrante da Área de Proteção Ambiental Marapendi, para a construção
de um Campo de Golfe: aproximadamente 450.000,00 m², ou, 45 ha.

Nessa medida está incluída a parte de 58.000,00 m² doada ao antigo Estado da Guanabara, portanto área já tornada pública e pertencente ao Parque. o restante seria obrigação do empreendedor dos condomínios Riserva também passar para a Prefeitura como parte do processo de licenciamento para construir, obrigação esta que, junto com a de construir a Avenida Prefeito Dulcídio Cardoso, foi dispensada em mais uma benesse urbanística prejudicial à cidade com a qual proprietários do terreno e construtores foram agraciados, entre outros favores.


Os posts mais lidos da semana
Se necessário copie o link na caixa de pesquisa acima

11/12/2014

Artigo - A ELITIZAÇÃO DA PAISAGEM PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE, de Antonio Guedes



09/12/2014

MARAPENDI - O MONÓLOGO ENGANOSO E O CAMPO PESSOAL


13/12/2014

RESERVA, GOLFE, PARQUES E FAVELAS – MPRJ, VÍDEO E NOTÍCIAS


10/12/2014

Artigo: O CINEMA E AS ORQUÍDEAS, de Cleia Schiavo Weyrauch

 

06/12/2014

25/11/2014

METRÔ: QUEM DIRIA, A LINHA 4 VIROU LINHA 5!


07/05/2014

PEU VARGENS: PRORROGADA A VIGÊNCIA DA ÁREA DE ESPECIAL INTERESSE - AEIA


25/11/2014

SEMANA 01/12/2014 a 06/12/2014 – O BAIRRO REJEITADO, A MARINA VOLTA, O MONÓLOGO, E MENOS 45 HECTARES EM MARAPENDI


08/11/2014

ASSESSOR CONTA A HITLER SOBRE PROTESTO CONTRA OBRA DO GOLFE NA RESERVA AMBIENTAL


27/06/2012

UM PROJETO REAL E VIÁVEL PARA O METRÔ DO RIO, por Miguel Gonzalez


sábado, 13 de dezembro de 2014

RESERVA, GOLFE, PARQUES E FAVELAS – MPRJ, VÍDEO E NOTÍCIAS

APA Marapendi - Rico Surf / P-Reserva

NOTA DE ABERTURA


"Operação flagra desmatamento e loteamentos irregulares em parque urbano" (RJTV 09/12/2014)


Não se trata do desmatamento realizado pela prefeitura para a construção de um do campo de golfe. Segundo o repórter a área desmatada no parque da Pedra Branca equivale a 10 campos de futebol. O ato no maciço da Pedra Branca é crime ambiental. O lugar poderá abrigar mais uma favela. O poder público interveio para impedir. Na reserva ambiental de Marapendi o desmatamento é ato oficial : devasta 45 hectares. Abrigará um campo de golfe dito olímpico. O poder público interveio e mudou a lei para permitir. Não se trata aqui de defender o desmatamento na Pedra Branca e a possível ocupação irregular com moradia: apenas mostrar dois pesos e duas medidas para situação similar na Urbe CaRioca.

______________

No post do último dia 09, MARAPENDI - O MONÓLOGO ENGANOSO E O CAMPO PESSOAL, comentamos uma série de inverdades apresentadas pelo prefeito do Rio de Janeiro sobre a proposta do blog levada ao projeto Ágora, um chamado do Chefe do Executivo para ouvir a sociedade, que sugeriria ideias de ações públicas para melhorar a cidade e a vida dos cariocas. Embora tratadas como possíveis legados dos Jogos Olímpicos, as sugestões trazem assuntos gerais sobre vários campos de atuação do poder público, a maioria muito interessantes. Poderiam ser implementadas a qualquer tempo, sem relação com os JO 2016.

PRESERVAR O PARQUE MUNICIPAL ECOLÓGICO MARAPENDI ÍNTEGRO, no entanto, não pode esperar. A devastação da área de reserva executada deliberada e conscientemente pela prefeitura abrange um conjunto de aspectos prejudiciais ao Rio de Janeiro, apenas para mencionarmos questões afetas ao meio ambiente, urbanísticas, da mobilidade urbana, lazer e desrespeito ao interesse público, sem entrarmos no mérito de aspectos éticos e uso do chamado poder discricionário, nemr questões que contém alguma carga de subjetividade.


Conforme já se sabe, o juiz da 7ª Vara de Fazenda Pública não acolheu o pedido de suspensão do licenciamento ambiental feito pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. Segundo o noticiário na grande imprensa e outras em plataformas virtuais o MPRJ recorrerá dessa decisão.


Enquanto isso, um grupo de defensores do parque Marapendi e da Reserva Ambiental de mesmo nome deu início a um novo movimento, o Ocupa Golfe, previsto para se estender até 31/12/2014: consiste em um ‘acampamento’ no canteiro da Avenida das Américas em frente ao terreno onde o campo de golfe está sendo construído. A instalação de faixas alusivas que chama a atenção de passantes e motoristas dará conhecimento mais amplo do assunto. Afinal, o próprio prefeito afirmou que a desinformação é geral. É necessário explicar a verdade à população!

Quanto a esse aspecto, o post citado acima - MARAPENDI - O MONÓLOGO ENGANOSO E O CAMPO PESSOAL, esclareceu vários pontos e desmentiu as afirmações. O vídeo do Monólogo do Prefeito foi divulgado e pode ser conhecido a seguir. A fala que pretensamente pretende defender a obra executada sobre a reserva ambiental com um discurso confuso que desvia a atenção do assunto começa a partir dos 6 minutos. O tempo é de 6 minutos e 26 segundos.


O tema tem sido difundido.  Além de MP-RJ recorrerá para embargar obra no campo de golfe em área de reserva, do G1, e de Movimento"Golfe pra quem?" acampa em frente ao Campo de Golfe Olímpico, do Jornal do Brasil, mais uma vez sites internacionais divulgam o assunto, como em Manifestantesprotestam contra campo de golfe olímpico, do SAPODESPORTO.


Outras afirmações no vídeo ainda serão comentadas. Abaixo, mapas esclarecedores.


Urbe CaRioca


                                           

Começar aos 6 min. Dura 6min 26 seg. Tempo suficiente para inverdades, sofismas, e um passeio fora do campo de golfe para ir ao campo pessoal. Lamentável. O que estava em discussão eram ideias e não os proponentes.
_________________________

MAPAS

Repetimos a montagem sobre foto do Google Maps que mostra a área verdadeira retirada do Parque Municipal Ecológico Marapendi -  cerca de 450.000,00 m² e não 58.000,00 m² como afirmado no vídeo ("arredondados para 60.000,00m²). As duas linhas amarelas maiores correspondem aproximadamente ao alinhamento da Avenida Prefeito Dulcício Cardoso, que deixará de ser construída em função do campo golfe, o que elimina a possibilidade de completar a antiga Via Parque, diferente do que afirmado pelo senhor prefeito no vídeo. A seguir mais três mapas informativos. 

Área retirada do Parque Municipal Ecológico Marapendi, reserva ambiental integrante da Área de Proteção Ambiental Marapendi, para a construção de um Campo de Golfe: aproximadamente 450.000,00 m², ou, 45 ha.
Obs. Nessa medida está incluída a parte de 58.000,00 m² doada ao antigo Estado da Guanabara, portanto área já tornada pública e pertencente ao Parque. o restante seria obrigação do empreendedor dos condomínios Riserva também passar para a Prefeitura como parte do processo de licenciamento para construir, obrigação esta que, junto com a de construir a Avenida Prefeito Dulcídio Cardoso, foi dispensada em mais uma benesse urbanística prejudicial à cidade com a qual proprietários do terreno e construtores foram agraciados, entre outros favores.

A segunda e a terceira imagens mostram a área à qual o prefeito se referiu, terra pública com 58.485,00 m² doada ao antigo Estado da Guanabara pelo sr. Holofernes e sua esposa, e desafetada pela famigerada Lei Complementar 125/2013, aprovada pelos vereadores ao apagar das luzes do ano 2012 e sancionada no início de 2013, para ser incorporada ao Campo de Golfe.

ÁREA DESAFETADA - LEI 125/2013
DOADA PELO SR. HOLOFERNES E SUA ESPOSA AO ANTIGO ESTADO DA GUANABARA - 58.485,00 m²

PAL 31421 - DOAÇÃO SR. HOLOFERNES E ESPOSA AO ANTIGO ESTADO DA GUANABARA. A ÁREA DE 58.485,00 m² FIGURA À DIREITA E ABAIXO DO LOTE 2 À QUAL PERTENCIA, DOADA PELO PROPRIETÁRIO COMO PARTE DAS OBRIGAÇÕES DO LOTEADOR IMPOSTAS PELA LEI URBANÍSTICA VIGENTE. NO CASO DO GOLFE A TRANSFERÊNCIA DE TERRAS AO DOMÍNIO PÚBLICO FOI DISPENSADA, ENTRE MUITAS OUTRAS BENESSES.


A quarta imagem mostra um dos loteamentos aprovados para o terreno, com a indicação de área verde a ser doada, medindo 61.015, 78 m².

PAL 46627 PAA 12019
NO LOTE 2 FOI CONSTRUÍDO O CONJUNTO DE EDIFÍCIOS 'RISERVA UNO'.