quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Artigo: GRANDES OBRAS DE MOBILIDADE NO RIO SEM PLANEJAMENTO, de Sonia Rabello

Ilustração - Afonso Carlos / CZN obtida em Motor Dream Uol


A Mobilidade Urbana continua na “ordem do dia”, ao menos na grande imprensa e nas promessas dos gestores públicos. Enquanto isso, a prática vem sendo outra, como demonstrou Reclamilda, engarrafada no Metrô justamente no dia de São Sebastião do Rio de Janeiro!

Crônicas e críticas bem humoradas à parte, o sério artigo de Sonia Rabello publicado originalmente em seu site no último dia 26 – reproduzido a seguir – nos informa sobre decisões tomadas de forma isolada, isto é, as obras “feitas sem que o Plano de Mobilidade da Cidade, ou mesmo da Região Metropolitana, estivesse pronto e publicado”.

A visão da jurista nos faz perguntar inevitavelmente o que a empresa que será contratada para elaborar o “plano” fará, por exemplo, diante das transtudo com suas pontes estaiadas caríssimas (e os novos gabaritos de altura a caminho), os BRTs que mal inaugurados já não atendem à demanda, o abandono da Linha 6 do Metrô substituída por uma das trans, o alongamento da Linha 1 do Metrô, ou a localização da nova rodoviária em São Cristóvão, - contestada na época em que seria apenas  uma instalação provisória no mesmo local, durante a Copa do Mundo e também analisada neste blog - e outros, várias ações questionadas por especialistas em engenharia de transportes e urbanistas, já consumadas.

O cientista social e escritor Guina Ramos já afirmou que o Transporte no Rio se dá pelo "método patético". Vale observar que a troca dos trajetos BRT e VLT entre a Avenida Rio Branco e a Rua Primeiro de Março anunciada pelo sr. prefeito em atendimento à solicitação de alguns urbanistas, não será efetivada, como demostram os trajetos divulgados posteriormente pela Prefeitura e mídias. Se os métodos são ou não patéticos, o leitor melhor dirá. Quanto à falta de embasamentos técnicos para tais decisões, parece fato inegável.

Está mais do que na hora de sermos 'uma cidade inteligente', sem engarrafamentos.

Boa Leitura.
Urbe CaRioca

Internet


Sonia Rabello



26 | Janeiro | 2015


As mega obras de mobilidade do Rio foram feitas sem que o Plano de Mobilidade da Cidade, ou mesmo da Região Metropolitana, estivesse pronto e publicado.
  
Só agora foi divulgado pela Governo da Cidade a intenção de se fazer o Plano Municipal de Mobilidade. Isso pode ser conferido pelo site PMUS, divulgado esta semana, ainda incompleto. Pelas informações ali contidas, o futuro Plano será de 2016 em diante, quando o governo Paes já terá terminado!

Deduz-se, portanto, que todas as obras de mobilidade rodoviárias dos BRTs (Bus Rapid Transit) e BRS (Bus Rapid Service), a derrubada da Perimetral, as linhas de metrô, especialmente a L4 – modificada em seu plano original e contestada por mais de 26 Associações de Moradores da Cidade – , a retirada de linhas de ônibus comuns e até o recentíssimo anuncio da nova rodoviária da Cidade estão sendo feitos sem planejamento específico e integrado!

Para o futuro Plano de Mobilidade do Rio, o Governo Paes fez divulgar um edital para contratação de empresa que deverá elaborá-lo em dez meses. Nele, ainda serão pesquisados indicadores a serem ordenados para o futuro plano, devendo-se levar em conta as mega obras de intervenção feitas pelo Governo Paes nestes 6/8 anos, sem plano, a saber:


(...)


terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Artigo: BOLA FORA DA PREFEITURA, de Renato Cinco



Desenho - Urbe CaRioca


O artigo sobre o inaceitável Campo de Golfe construído em reserva ambiental, no Rio de Janeiro, cidade prestes a completar 450 anos de fundação, reproduzido a seguir, foi publicado no jornal O Globo em 30/12/2014. O autor, vereador Renato Cinco, traça um bom panorama sobre o assunto.

Infelizmente o texto não menciona a supressão da Avenida Prefeito Dulcídio Cardoso, mais um aspecto urbanístico sério entre tantas decisões equivocadas, conforme analisado em várias postagens neste blog. O assunto, de fato, tem muitas faces!

Por outro lado, o site G1 de notícias divulgou a manifestação ocorrida no último sábado contra a falta d'água em diversos bairros da Zona Oeste  - relatada no post de ontem neste Urbe CaRioca - enquanto, segundo os manifestantes, milhares de litros são gastos diariamente para irrigar o terreno onde o campo de golfe, dito olímpico para os jogos 2016, está em construção, parte dele sobre área de reserva ambiental às margens da Lagoa de Marapendi. E, ontem, mais uma entrevista, com a falácia de sempre por parte da prefeitura, foi publicada no site Bloomberg.


Boa leitura.

Urbe CaRioca






Renato Cinco


Município atropela legislação para construir campo de golfe

Passada a Copa, a lógica dos megaeventos persiste na preparação para as Olimpíadas: atropelo e violação de parâmetros urbanísticos e ambientais em prejuízo da população. O local escolhido pela prefeitura para construir o Campo de Golfe Olímpico, às margens da Lagoa de Marapendi, na Barra, é um raro reduto de Mata Atlântica, de restingas e manguezais com espécies ameaçadas de extinção.
Com a proximidade dos Jogos, a prefeitura celebrou um acordo com Pasquale Mauro, transferindo a responsabilidade pela construção do campo. Em contrapartida, ele receberia o aumento do gabarito para construção de prédios na área.
As licenças ambientais foram concedidas em tramitação acelerada e anormal, mesmo com manifestações de técnicos da prefeitura contrárias ao projeto. Diante das ilegalidades detectadas no licenciamento e do avançar da devastação no local em função das obras, uma ação civil pública foi ajuizada.
Segundo o Ministério Público, o projeto “não atende aos objetivos de criação da Área de Proteção Ambiental, já que aniquila por completo todos os atributos ambientais e funções ecológicas daquele ecossistema”.
Recentemente, o juiz do caso afirmou que são justas as dúvidas sobre a legalidade do licenciamento e que a devastação ambiental causada pela obra olímpica é inegável, e ainda maior do que ele mesmo imaginava.
A prefeitura e a Fiori Empreendimentos (responsável pela construção) afirmam que a área já estava degradada. Contudo, tal fato não retira seus atributos ambientais. Segundo biólogos que visitaram o local, ela estava em processo de autorregeneração. Ademais, o próprio “proprietário” é apontado como responsável pelos danos ambientais anteriores.
Curiosamente, em vez de exigir a recuperação da área, o poder público optou por autorizar a implantação de um campo de golfe, atividade de luxo e bastante lucrativa ao “proprietário”, considerando a valorização da região e a contrapartida oferecida, com aumento do gabarito para construção de prédios residenciais.
A prefeitura alega ainda que o acordo significou grande economia aos cofres públicos, já que a construção ficará a cargo do setor privado. Mas o valor global das vantagens econômicas oferecidas a Pasquale Mauro constitui um montante até agora incalculável. Muito provavelmente este pode ser um dos campos de golfe mais caros da história.
Além disso, enquanto a prefeitura atropela a legislação para garantir a construção de um novo campo de golfe em uma reserva ambiental, comunidades inteiras, estabelecidas há dezenas de anos na própria região da Barra, sofrem com as tentativas de remoção sob a justificativa de proteção ambiental.
Essas são apenas algumas das razões que nos levaram a apresentar na Câmara Municipal do Rio um requerimento de CPI para investigar o processo de construção do chamado Campo de Golfe Olímpico. Esperamos, assim, que o Poder Legislativo cumpra sua função fiscalizadora, tão necessária no caso em questão.
Renato Cinco é vereador no Rio pelo PSOL
O Golfe dito "Olímpico" na Urbe CaRioca
Devastação da APA e Parque Municipal Ecológico Marapendi - Janeiro 2015

Foto: Divulgação movimento Golfe para Quem?


NOTA:
A quem interessar, repetimos o vídeo abaixo.



Começar aos 6 min. O trecho de interesse dura 6min 26 seg, tempo suficiente para inverdades, sofismas, e um passeio fora do campo de golfe para ir ao campo pessoalLamentável, pois o que estava em discussão eram ideias e não os proponentes.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

SEMANA 19 a 23/01/2015 – RECLAMILDA e SÃO SEBASTIÃO NO METRÔ, NOVEMBRO, NOTÍCIAS SOBRE O ASSACU e A AUDITORIA


Pensar em coisa boa... Já sei! Elogilda que contou. Aquele pessoal da prefeitura, lembra, São Sebastião, que quer proteger o Rio mais do que o senhor - vê se pode? - convidou para outro “desafio”, justamente sobre Mobilidade Urbana! Parece bom, né meu santo? O povo dá ideia, o alcaide ouve, atende... Ora, pipocas, depois do fiasco que foi o do “legado olímpico” (...)

Trecho de RECLAMILDA E SÃO SEBASTIÃO – O METRÔ, A IMOBILIDADE, E A BARCA DA CANTAREIRA

 

 

Semana anterior e textos mais lidos

A semana passada; em pleno Dia de São Sebastião do Rio de Janeiro Reclamilda fica engarrafada no Metrô carioca; todos os posts de Novembro com destaque para a paródia do filme A Queda – As Últimas Horas de Hitler e a obra do campo de golfe na reserva ambiental; o assacu de Copacabana um ano depois e o documento sobre poda e manutenção do patrimônio arbóreo da cidade intitulado Auditoria Operacional – Arborização Urbana Pública: A Proteção ao Patrimônio Natural, solicitado pelo Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro (TCMRJ), de maio/2014. Sobre a execução das podas, conhecer em especial o texto das páginas 34 e 35.

Notas:

1 - No fim-de-semana ocorreu outra manifestação na Barra da Tijuca contra a obra do Campo de Golfe na Reserva Ambiental, desta vez tendo por mote a falta d’água em diversos bairros da Zona Oeste – e a grave situação de seca que o Estado enfrenta enquanto, segundo os manifestantes, milhões de litros d’água são usados diariamente para irrigar o terreno onde o campo está em construção.

2 - O caso do golfe dito olímpico foi tema de reportagem na Alemanha cujo texto original que pode ser conhecido AQUI.


 

Blog Urbe CaRioca



Segunda, 19/01/2015

SEMANA 12 a 16/01/2015 – MARINA x FAM-RIO x IPHAN, e MAIS GOLFE PREDADOR NA MÍDIA INTERNACIONAL

 

SEMANA 05 a 10/01/2015 – MARINA DA GLÓRIA, RIO À BEIRA D’ ÁGUA, e GOLFE PREDADOR NA MÍDIA INTERNACIONAL

MARINA DA GLÓRIA – FAM-RIO PEDIU VISTAS AO PROCESSO

GOLFE ABERRAÇÃO – NOTÍCIAS INTERNACIONAIS, PELÉ E SILVIO TENDLER



Terça, 20/01/2015

RECLAMILDA E SÃO SEBASTIÃO – O METRÔ, A IMOBILIDADE, E A BARCA DA CANTAREIRA

 

Quinta, 22/01/2015

O MÊS NO URBE CARIOCA – NOVEMBRO 2014


Sexta, 23/01/2015

O ASSACU DE COPACABANA SALVO EM 2014 E A AUDITORIA




Internet



Os posts mais lidos da semana
Se necessário copie o link na caixa de pesquisa acima



20/01/2015

RECLAMILDA E SÃO SEBASTIÃO – O METRÔ, A IMOBILIDADE, E A BARCA DA CANTAREIRA


23/01/2015

O ASSACU DE COPACABANA SALVO EM 2014 E A AUDITORIA


16/01/2015

GOLFE ABERRAÇÃO – NOTÍCIAS INTERNACIONAIS, PELÉ E SILVIO TENDLER


22/01/2015

O MÊS NO URBE CARIOCA – NOVEMBRO 2014


13/01/2015


27/06/2012

UM PROJETO REAL E VIÁVEL PARA O METRÔ DO RIO, por Miguel Gonzalez


19/01/2015

SEMANA 12 a 16/01/2015 – MARINA x FAM-RIO x IPHAN, e MAIS GOLFE PREDADOR NA MÍDIA INTERNACIONAL


10/01/2015

GOLFE NA RESERVA AMBIENTAL – NOTÍCIAS MUNDO AFORA, e LUAU


12/03/2013

RIO DE JANEIRO -HOTÉIS EM REFORMA, EM CONSTRUÇÃO, EM PROJETO OU EM ESTUDOS



Arquivo Nacional - Internet


sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

O ASSACU DE COPACABANA SALVO EM 2014 E A AUDITORIA


Em 2014 moradores se mobilizaram para salvar a árvore que havia sido declarada imune ao corte.
Deu resultado! Na imagem, o folder distribuído há quase um ano.

A Urbe CaRioca tem um assacu famoso. Fica em Copacabana e quase morreu. Porém, o indivíduo arbóreo teve mais sorte do que as árvores da Freguesia, em Jacarepaguá, as da Marina da Glória, no Parque do Flamengo e as da Praça Nossa Senhora da Paz, estas centenárias, retiradas para dar lugar à Estação do Metrô da Linha 1, rebatizada de Linha 4 por conveniência e interesse dos gestores públicos, enquanto a Linha 4 virou Linha 5!

Esquecem de que Árvores Urbanas são Patrimônio da Cidade, como nos ensinou Ivete Farah!

No Parque do Flamengo, o querido “Aterro”, idealizado por Lota Macedo Soares e construído pelo Governador Carlos Lacerda as árvores foramao chão, cortadas no início de dezembro - mês de Festas, todos os cariocas ocupados com eventos de final de ano... Já se anunciava um calor excepcional no Rio de Janeiro, coroado no dia primeiro de 2015 com a sensação térmica de 50º C! Quase ninguém percebeu a ação, e o assunto foi à grande imprensa somente noinício de janeiro.

Na Copacabana da movimentada Rua Pompeu Loureiro os moradores se mobilizaram quando as motosserras chegaram, o corte da árvore foi interrompido, o pobre assacu, mesmo imune ao corte por decreto, ficou despido, porém vivo!



Blog Salve o Assacu



Blog Salve o Assacu




Em novembro último o blog Salve o Assacu divulgou o documento intitulado Auditoria Operacional –Arborização Urbana Pública: A Proteção ao Patrimônio Natural, solicitado pelo Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro (TCMRJ), de maio/2014, que “trata de um diagnóstico profundo e abrangente de como é gerida a arborização da Cidade do Rio de Janeiro – Patrimônio Mundial como Paisagem Cultural”.


Quanto à árvore salva, vai bem, obrigada! Parabéns aos moradores de Copacabana!



Urbe CaRioca



quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

O MÊS NO URBE CARIOCA – NOVEMBRO 2014


Quanto mais desmandos na Urbe CaRioca sobre a Reserva de Marapendi, maior a indignação dos que acompanham as inverdades, e mais fortalecido fica o movimento Golfe para Quem?

Cena do filme GUERRA NAS ESTRELAS

Caros leitores,
Em NOVEMBRO uma das postagens mais acessadas foi a paródia ASSESSOR CONTA A HITLER SOBRE PROTESTO CONTRA OBRA DO GOLFE NA RESERVA AMBIENTAL, uma dose de bom-humor necessária diante de tantos desmandos e desfaçatez que tratam o caso espantoso do campo de golfe construído sobre uma reserva ambiental, destruindo o parque ecológico, como “restaurador do meio ambiente”, entre outros sofismas.
Outro espanto foi a Linha 4 do Metrô ser renomeada de Linha 5! À Lagoa Rodrigo de Freitas, possível ataque urbano-carioca alerta os defensores do Estádio de Remo. Na pobreza espiritual e cultural reinante, o Macaco Muriqui foi descartado porque os bonecos coloridos com jeito de desenho animado japonês “vendem mais”... Pelo menos que não usassem os nomes dos nossos grandes poetas e músicos Vinícius de Moraes e Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim! Uma ofensa a quem difundiu a cultura e a música brasileiras pelo mundo! Em NOVEMBRO faltaram Post.zitivos...
Boa leitura.
Urbe CaRioca



(2) GLOBO ESPORTE 19/11, O PARQUE MARAPENDI E A PALAVRA DO MINISTÉRIO PÚBLICO: SUSPENSÃO
PROBLEMAS NO LICENCIAMENTO AMBIENTAL PODEM PARALISAR OBRAS DO CAMPO DE GOLFE OLÍMPICO
SEMANA 27/10/2014 a 01/11/2014 – DO GOLFE PARA QUEM? À REVISTA EXAME, BÚSSOLAS E TERRITÓRIOS, e NOVO PROTESTO CONTRA O GOLFE NA RESERVA AMBIENTAL
 
Urbe CaRioca, novembro 2013