sexta-feira, 12 de julho de 2013

CAMPO DE GOLFE E HOTÉIS: ENCONTRADOS ALGUNS DOS “PROCURADOS”


Em 04/07/2013 publicamos “PROCURA-SE”: QUARTEL DA PM, CAMPO DE GOLFE, TRÊS HOTÉIS, E O PARQUE DAS BENESSES. Encontramos novidades sobre dois hotéis e o Campo de Golfe. Quanto ao Hotel Nacional, o Quartel histórico, e o Parque das Benesses, ainda nada.





O primeiro deu o primeiro passo para a criação do Campo (...). Virou deputado. O segundo deu o segundo passo: junto com vereadores eliminou a parte da reserva (...) deu o tiro de misericórdia doando áreas públicas para o golfe e impedindo a conclusão da Avenida Prefeito Dulcídio Cardoso, idealizada pelo primeiro. Virou Prefeito. O terceiro não intercedeu (...). Está em silêncio. Virou ministro.




No post “PROCURA-SE” consta o texto:

Afastado dos Jogos Olímpicos há um século, o esporte atravessa o Atlântico para reduzir a nossa APA Marapendi - reserva ambiental gestada há mais de meio século e regulamentada a partir dos anos 1990 -, e avançar sobre áreas públicas, com o beneplácito do Prefeito e de Vereadores. O post PACOTE OLÍMPICO 2: O CAMPO DE GOLFE E A APA MARAPENDI explica os antecedentes, complementados por CAMPO DE GOLFE, UM DECRETO DISCRETO. “Procura-se” notícia sobre processos judiciais em curso, se houver; se os órgãos responsáveis pelo Meio Ambiente avalizaram a modificação da APA*; se o Ministério Público atuou no caso.


Notícia 1 - O movimento Golfe para Quem? divulgou na web que ‘No dia 06 de junho de 2013, o Coletivo Resistência Popular Zona Oeste II/CZOII, o Comitê Popular da Copa e da Olimpíada 2016 e a Justiça Global protocolaram uma REPRESENTAÇÃO no Ministério Público Estadual, com gravíssimas denúncias sobre o projeto de construção de um Campo de Golfe Olímpico na Área de Preservação Ambiental/APA de Marapendi, na Barra da Tijuca. A representação contém claras evidências das ilegalidades e incongruências do Prefeito Eduardo Paes e seu Secretário do Meio Ambiente, Carlos Muniz, dentre as quais, destacam-se ações perdulárias, malversação de dinheiro público, falta de transparência no processo, beneficiamento a empresários, atropelamento de leis ambientais (bem como a modificação arbitrária das mesmas para viabilizar o processo, a despeito dos interesses da população), entre outros’.

Notícia 2 - Esta informação foi divulgada também pelo blog Barra News Rio. As notícias têm mais de um mês e, infelizmente não foi possível conhecer os seus desdobramentos.

Notícia 3 - O projeto da sede recebeu menção honrosa do Instituto dos Arquitetos.  Infelizmente, trata-se de um equívoco – não o prêmio em si -, mas o fato de que a proposta nem deveria ter sido elaborada. Ao contrário, caberia às instituições vinculadas à arquitetura e o urbanismo defender a continuidade da APA Marapendi e da Avenida Prefeito Dulcídio Cardoso. Por isso é inexplicável a participação do IAB, e o silêncio de outros foros e da quase totalidade do meio acadêmico.

A quem interessar, o decreto analisado neste espaço em CAMPO DE GOLFE: UM DECRETO DISCRETO contém informações esclarecedoras sobre os desmandos relacionados ao famigerado campo.








JB, 09/07/2013


No post “PROCURA-SE” consta o texto:



No conjunto de leis conhecido por Pacote Olímpico 1, emenda de então vereadora permitiu a transformação do prédio residencial - propriedade do clube que presidia -, para hotel, a seguir alugado ao grupo empresarial EBX. Com o Hotel Glória e o pretendido empreendimento comercial que seria construído no Parque do Flamengo/Marina da Glória, formaria o que chamamos ‘Triângulo da EBX-REX’. O IPHAN recuou de sua decisão e paralisou a análise do projeto, enquanto os problemas financeiros do grupo emergem a cada dia. “Procura-se” notícia sobre o futuro do prédio da Avenida Rui Barbosa, já vazio e esburacado; e sobre o Hotel Glória, também do grupo X. Cabe indagar se o perdão das dívidas de IPTU do clube e as isenções fiscais concedidas para hotéis 'da Copa e dos Jogos Olímpicos' serão canceladas.


Hotel Glória - O noticiário nos informa que as obras estão paralisadas, o que será questionado pelo Conselho de Arquitetura. Um famoso colunista disse, há algumas semanas, que a única obra que a empresa concluiu foi a demolição do teatro do Glória... Lamentável. Com a suspensão da investida perniciosa sobre o Parque do Flamengo/Marina da Glória, parecia que o triângulo da Prefeitura-REX-IPHAN também viraria pó. Um dos vértices, no entanto, pode estar ativo: o futuro hotel da Av. Rui Barbosa.


Prédio da Av. Rui Barbosa - Em 10/07/2013 o noticiário informou que o Grupo EBX arrendou o prédio do Flamengo: ‘Também nesta quarta-feira, a REX, empresa do ramo imobiliário do grupo EBX, firmou contrato de arrendamento de um prédio do Clube de Regatas do Flamengo no Morro da Viúva, no Rio. Uma parcela de R$ 9 milhões foi paga ao clube no ato da assinatura do acordo, segundo fontes do Flamengo. O prédio será convertido em hotel. Segundo a REX, há negociações avançadas com bandeiras hoteleiras que serão parceiras no negócio’.


APOIO: PREFEITURA, INSTITUTO DO PATRIMÔNIO, IPHAN, ABIHRJ,  E VEREADORES.
Indicação sobre imagem Google Maps

Resta saber se com a nova investida da Prefeitura sobre a área pública da Marina da Glória - já anunciada – o Triângulo será ressuscitado. É assunto para um próximo post.



Nenhum comentário:

Postar um comentário