quinta-feira, 4 de julho de 2013

"PROCURA-SE": QUARTEL DA PM, CAMPO DE GOLFE, TRÊS HOTÉIS, E O PARQUE DAS BENESSES


Internet


Alguns assuntos legislativo-urbano-cariocas que criaram polêmicas ou, apenas, foram apresentados como propostas redentoras, súbita - e naturalmente (?) - desapareceram do noticiário, este que é renovado todos os dias porque o mundo não para.

Dos temas lembrados no título acima, alguns também causaram manifestações da sociedade civil, bem antes dos R$ 0,20 que reacenderam as reivindicações da população por melhorias gerais nos serviços públicos em todo o país, entre outras questões. Vale recordar, uma a uma, pautas específicas importantes para a Cidade do Rio de Janeiro e para os cariocas que não devem ser esquecidas.




“PROCURA-SE”




1.    QUARTEL DA PM

Ameaçados de virar pó, prédio e sítio com 200 anos de História poderão ser vendidos ao mercado imobiliário pelo governo estadual. “Procura-se” notícia sobre o processo de demolição nº 02/000969/2012 mencionado no post QUARTEL DA PM: HISTÓRICO, ABAIXO-ASSINADO E PEDIDO DE DEMOLIÇÃO;

Blog Roberto Anderson





Afastado dos Jogos Olímpicos há um século, o esporte atravessa o Atlântico para reduzir a nossa APA Marapendi - reserva ambiental gestada há mais de meio século e regulamentada a partir dos anos 1990 -, e avançar sobre áreas públicas, com o beneplácito do Prefeito e de Vereadores. O post PACOTE OLÍMPICO 2: O CAMPO DE GOLFE E A APA MARAPENDI explica os antecedentes, complementados por CAMPO DE GOLFE, UM DECRETO DISCRETO“Procura-se” notícia sobre processos judiciais em curso, se houver; se os órgãos responsáveis pelo Meio Ambiente avalizaram a modificação da APA*; se o Ministério Público atuou no caso.

Internet, nov.2012



*Além do curioso Cavalo de Troia, a faixa levada por manifestantes intriga. Por que?



No conjunto de leis conhecido por Pacote Olímpico 1, emenda de então vereadora permitiu a transformação do prédio residencial - propriedade do clube que presidia -, para hotel, a seguir alugado ao grupo empresarial EBX. Com o Hotel Glória e o pretendido empreendimento comercial que seria construído no Parque do Flamengo/Marina da Glória, formaria o que chamamos ‘Triângulo da EBX-REX’. O IPHAN recuou de sua decisão e paralisou a análise do projeto, enquanto os problemas financeiros do grupo emergem a cada dia. “Procura-se” notícia sobre o futuro do prédio da Avenida Rui Barbosa, já vazio e esburacado; e sobre o Hotel Glória, também do grupo X. Cabe indagar se o perdão das dívidas de IPTU do clube e as isenções fiscais concedidas para hotéis 'da Copa e dos Jogos Olímpicos' serão canceladas.

APOIO: PREFEITURA, INSTITUTO DO PATRIMÔNIO, IPHAN,
ABIHRJ,  E VEREADORES. - Indicação sobre imagem Google Maps




Também beneficiado pelo Pacote 1, parece que, até agora, nada aconteceu. O relato sobre o caso está no post HOTEL NACIONAL E O PACOTE OLÍMPICO, de 11/09/2012. “Procura-se” notícia sobre o futuro do cilindro abandonado. Do mesmo modo cabe indagar se houve perdão de dívidas de IPTU e isenções fiscais concedidas pelo Pacote 1, e, neste caso, se serão canceladas.

 
Hotel Nacional, São Conrado, Rio
Foto: Marco Antonio Cavalcanti /O Globo





O oferecimento de um ‘novo parque’ aos cariocas esconde a operação que dará garantia eterna para a aplicação de índices urbanísticos jamais usufruídos. Bastante complexo, o caso também faz parte do Pacote Olímpico 2 e foi explicado no post PACOTE OLÍMPICO 2 – APA MARAPENDI: O “PARQUE” E AS BENESSES URBANÍSTICAS“Procura-se” notícia sobre o ‘parque’ redentor e benéfico que, curiosamente, excluiu o terreno do Hotel Hyatt de sua delimitação.







Enquanto aguardam-se respostas, vale lembrar que, além de ações judiciais, as manifestações de diversos segmentos da sociedade civil certamente contribuíram para salvar a Marina da Glória da investida perniciosa, analisada exaustivamente neste blog e na página www.soniarabello.com.br .

Pelo menos até aqui.



Imagem: Alex Uchoa

Um comentário:

  1. Canagé Vilhena12:31 PM

    A faixa levanta um assunto q deveria merecer muita atenção,afinal de contas é muito estranho o fato de que as infrações ambientais, no município são registradas na 1ªinstância, mas não contidas qdo nas instancias superiores.

    ResponderExcluir