terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

DEBATE NO IAB-RJ: VOZES DE GUARATIBA



Igreja Matriz Salvador do Mundo - Ilha de Guaratiba
Construída em meados do século XVIII, por padres carmelitas, ainda guarda suas características.
Foi fundada pelo marquês de Valença em um monte de onde se tinha toda uma vista do litoral,
feita nesse local estrategicamente para se preservar dos ataques francês naquela época. Fonte: Wikirio


O debate sobre ‘os riscos da plena ocupação da região de Guaratiba’ – que além do bairro de mesmo nome engloba ainda os bairros IIha de Guaratiba e Pedra de Guaratiba – realizado ontem no Instituto de Arquitetos do Brasil – RJ foi um desdobramento do relatório entregue ao Prefeito do Rio de Janeiro dezembro passado, elaborado a seu pedido, após o alagamento do Campus Fidei em julho/2013.

O relatório, fruto de reuniões internas realizadas pela instituição, foi divulgado no site do IAB-RJ, e também por este blog em GUARATIBA: O RELATÓRIO DO INSTITUTO DOS ARQUITETOS DO BRASIL – IAB.

Na etapa de ontem, ao grupo de arquitetos, urbanistas, sociólogos e membros do Ministério Público Estadual que analisa o tema desde agosto/2013, juntaram-se representantes da Prefeitura, de algumas associações de moradores e do comércio, e de residentes na região.

Graças à iniciativa e convite feitos pelo IAB-RJ vozes de Guaratiba se fizeram presentes, vozes de Guaratiba pediram para serem ouvidas mais vezes!

O resumo da reunião – proveitosa e esclarecedora – já está disponível na página www.iabrj.org.br . O título é autoexplicativo. Segue a chamada para a matéria com o link respectivo. Dela reproduzimos trechos referentes às afirmações do representante do MP-RJ e do presidente do IAB Nacional, não obstante seja a leitura completa imprescindível. Obs. - No próximo dia 05/03/2014 Guaratiba completará 435 anos de sua fundação.

Boa leitura.


URBE CARIOCA








(...) O procurador do Ministério Público Estadual Sandro Machado corroborou e ratificou o relatório sobre o quadro urbanístico e socioambiental de Guaratiba, que foi entregue em novembro ao prefeito Eduardo Paes, e falou sobre a atuação do MPE para garantir a preservação da região.

“O relatório do IAB se mostra irretocável do ponto de vista ambiental e urbanístico. Nós temos um inquérito civil que acompanha as políticas públicas daquela região, que é extremamente sensível e sofre pressão de ocupação. Estamos numa fase de acompanhamento de debate, aguardando a postura do poder público para a observância da legislação ambiental, que já se mostra suficiente para preservação daquela área. Ela só precisa se mostrar eficaz no aspecto prático”, destacou Sandro Machado. (...)
_______________________

(...) Para o presidente do IAB, a oferta de território para ocupação em Guaratiba é danosa à cidade e à democracia:

“De nosso ponto de vista, o estímulo à ocupação em Guaratiba é extremamente nocivo à democracia no Rio de Janeiro. A ocupação de territórios, hoje vazios, sobretudo territórios frágeis, significa postergar a universalização de serviços públicos na nossa metrópole. O patamar mínimo de exigência que o IAB coloca é: universalizar a infraestrutura urbana antes de pensar em crescer um metro quadrado da mancha urbana”, defendeu Sérgio.

Na avaliação dele, é preciso ampliar o entendimento do documento do IAB, produzido em parceria com outros colegas, para mais pessoas, sobretudo para quem tem conhecimento específico da região. Isso resultaria numa maior participação da população local. (...)


Nenhum comentário:

Postar um comentário