quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

QUE 2016 TRAGA BOAS NOTÍCIAS PARA A URBE CARIOCA!


Internet


Este post que encerra 2015 é de agradecimento aos leitores, colaboradores e incentivadores do blog, companheiros dessas páginas virtuais que, durante mais um ano, procuraram retratar aspectos batizados de "urbano-cariocas", mostrar que o dia-a-dia e o crescimento da Mui Leal e Heroica Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro refletem Quatrocentos e Cinquenta Anos de História e, mais recentemente, as leis urbanísticas vigentes - seja sua aplicação, a desobediência a elas, ou simplesmente, ignorá-las. Por óbvio, somam-se esses aspectos, à fiscalização ausente ou precária, à gestão administrativa e às prioridades escolhidas pelas autoridades responsáveis.

O resultado é a Urbe CaRioca que nos envolve, terra de maravilhas naturais e de muitas mazelas, "purgatório da beleza e do caos", diz a canção, perfeita para estes dias de 40 graus, sensação térmica de 55̊C!

......

Em 2015 o blog foi movimentado!



Rua da Constituição, Centro, 25/09/2015
Pé-de-Moleque sobre Pé-de-Moleque

Foto: Marconi Andrade
AGOSTO, OUTUBRO e NOVEMBRO foram os meses com maior número de acessos, em especial devido ao caso espantoso do calçamento “pé-de-moleque” com mais de 200 anos de História encontrado na Rua da Constituição e destruído em seguida, bem como os achados arqueológicos da Praça XV de Novembro, igualmente descartados. Entre as postagens de grande repercussão destacaram-se em ainda em agosto O PASSADO RESSURGE NO CAMINHO DO VLT, de Marcus Alves, e, em seguida PÉS-DE-MOLEQUE AGORA NA PRAÇA XV, PÉ-DE-MOLEQUE DA RUA DA CONSTITUIÇÃO: DESCOBERTA, DIVULGAÇÃO, MOBILIZAÇÃO, TELEVISÃO, MAS, EM VEZ DA POSSÍVEL PRESERVAÇÃO, DESTRUIÇÃO E INDIGNAÇÃO!, e DESTRUIÇÃO DO PÉ-DE-MOLEQUE COM MAIS DE 200 ANOS NA GRANDE IMPRENSA; em novembro, METRÔ, LINHA 2 – UMA VISITA À ESTAÇÃO CARIOCA, ADEUS, CINEMA LEBLON!, e AS ÁRVORES E O BURGOMESTRE LENHADOR, a fábula urbano-carioca que alude ao presidente do C40 e o desprezo pelo Meio Ambiente.


A destruição, com retro-escavadeira, em fim-de-semana chuvoso.
Foto: Marcus Alves, 26/10/2015


Em tempos de 'tudo é para olimpíada', devemos ficar atentos: Ilha do Governador e Guaratiba são os próximos alvos de Leis Complementares com viés arrecadador (bom trocadilho!) e o onipresente aumento dos gabaritos de construção.



Internet


Ao longo dos últimos doze meses o caso do inaceitável Campo de Golfe manteve-se presente, o campo foi inaugurado, mas a polêmica prossegue, como apontou a reportagem do último dia 18 ‘Campo de golfe nem foi usado e já gera atrito: confederação rebate prefeito’. Para lembrar o assunto, todos os artigos de 2012 e 2014 foram reunidos em GOLFE - MUITAS FACES, UMA SÓ MOEDA, e a CrôniCarioca - também paródia - EXTRA! EXTRA! PÃO DE AÇÚCAR SERÁ DEMOLIDO!, demonstrou que justificar a obra do campo de golfe ligando-a ao futuro parque Nelson Mandela é falacioso; O CAMPO DE GOLFE DITO OLÍMPICO E A CORUJA-BURAQUEIRA reuniu as postagens de 2015.

Com os votos de que as esperanças e os sonhos lembrados durante as Festas se concretizem em 2016 - todavia com menos concreto e mais verde de verdade! -, e que se construa uma cidade verdadeiramente boa e justa para todos. Nosso Rio de Janeiro nos dará mais orgulho quando os bens que tornam a cidade um atrativo sejam distribuídos uniformemente e acessíveis a todos: moradias dignas, escolas boas, bons hospitais, saneamento básico, áreas públicas bem cuidadas, enfim, bairros seguros, iluminados e limpos... Lugares comuns, mas, o mínimo desejável! Nem deveria ser necessário relembrar!


UOL
Por fim, ou, quem sabe, recomeço, lembramos ainda que no próximo ano teremos eleições municipais.

Esperamos que a renovação possa levar à Câmara de Vereadores e ao Poder Executivo políticos comprometidos com projetos efetivamente voltados para o interesse público, para o bem-estar da população, para melhorias do espaço urbano e a proteção do meio ambiente. Que esses candidatos existam!


Que São Sebastião ajude a afastar candidatos com passado maculado por escândalos financeiros, histórico de violência e defesa de causas próprias!


E que a Urbe CaRioca receba o abraço permanente do seu Cristo Redentor!

Feliz Ano Novo!

Andréa Redondo/Blog Urbe CaRioca

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

O MUSEU DO AMANHÃ CHEGOU À PRAÇA MAUÁ


Clique no link abaixo para saber como tudo se passou desde que seu primo-irmão Guggenheim, pretendente a ocupar o mesmo lugar, foi vetado.
 No post Guggenheim, Cidade da Música e Museu do Amanhã, um Post.zitivo com ressalvas...

Crédito: Blog Panrotas, foto de Carla Lencastre


O artigo é de novembro/2012 e explica, por exemplo, que o Píer Mauá não foi liberado pelo governo federal anteriormente para que a Prefeitura do Rio desse ao espaço outro aproveitamento, com projeto do renomado arquiteto francês Jean Nouvel.
Na postagem citada há referência a texto publicado alguns dias antes informando sobre a incoerência de manter a obra da então Cidade da Música paralisada, motivo para perda de recursos públicos, enquanto se tratava da construção de um novo museu na Zona Portuária, enfim liberada para o governo aliado.
Curiosamente, o mesmo periódico que criticava diuturnamente a obra de grande porte na Barra da Tijuca, abraçou a causa da obra de grande porte na Praça Mauá, não havendo uma crítica sequer sobre custos, prioridades, contratação também de arquiteto estrangeiro renomado, o espanhol Santiago Calatrava. Por isso um dos títulos dizia 'Dois Pesos e Duas Medidas'.
A explicação está no próprio anúncio/propaganda sobre a inauguração da construção branca: concepção e realização de Prefeitura e Fundação Roberto Marinho – somadas às alianças político-partidárias que calaram possíveis questionamentos como fora feito em relação ao primo-irmão, o natimorto Guggenheim.
Por outro lado, ambos os espaços têm sido elogiadíssimos pela beleza dos projetos arquitetônicos: Cidade da Música – agora das Artes – e o Museu do Amanhã. As críticas recaem sobre os gastos com o primeiro enquanto o Rio de Janeiro tem doze museus fechados (por exemplo, o Museu da Cidade), e a localização do segundo, de difícil acesso (os artigos de 2012 também explicam a razão do local).


Praça Mauá, 19/dezembro/2015
A fotografia de Marconi Andrade divulgada em rede
 social teve 41.670 compartilhamentos em 10 dias. 


Quanto à Praça Mauá, espaço importante resgatado para o Rio e sua população, é incompreensível o projeto deixar de incluir boa arborização, em tempos de sensação térmica por volta dos 45̊C, motivo para muitas queixas, salvo se a intenção tenha sido criar esplanada para grandes eventos, como o "viradão" que, vergonhosamente, deixou um rastro de imundície.

Na imagem abaixo constata-se que em um trecho, entretanto, houve o plantio de algumas espécies.

Crédito: Blog Panrotas, foto de Carla Lencastre

Felizmente ambos foram inaugurados e estão em funcionamento. Mais uma vez, sem entrar no mérito de prioridades para o Rio de Janeiro, e dos processos respectivos - o primeiro altamente conturbado, o segundo estranhamente silencioso - cariocas e visitantes já podem desfrutar de dois equipamentos urbanos importantes.
Fica o registro, portanto, para futuros estudos sobre o crescimento da cidade e a Política Cultural e Urbana no início do Século XXI.


Urbe CaRioca

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

ELOGILDA, RECLAMILDA, RIO EM DEZEMBRO


CrôniCaRioca*


Internet



As amigas se encontraram no Centro, perto da Praça Mauá, “Oi, que saudade!”, dois beijinhos cariocas...

RECLAMILDA – Falta muito até a Praça, Elô! Dezembro no Rio, no Centro, que loucura, que calor! Será que a gente aguenta? A Rio Branco toda quebrada. Quer ver mesmo a reforma da Mauá, conhecer o tal museu novo?

ELOGILDA – Estamos quase chegando, Rê. Claro que aguentamos! O Rio está cada vez mais lindo, vale a pena! Nesta época é só animação, festas, presentes, Natal pertinho, água do mar igual ao Caribe, vi em fotos... E o calorzinho, que gostoso! Olha aqui, trouxe dois leques! Otimismo!

Crédito: Guto Costa

RECLAMILDA – Só você, Elô... No Metrô eu congelei, na rua o asfalto se derrete, 40 graus, vou ter pneumonia... Tá bem, tá bem, nada de falar sobre Linha 4, Linha 2, engarrafamento, poluição, gabaritos, inflação, pega-ladrão, corrupção, escolas ruins, hospital fechado, crise, dengue, zika... Faz de conta que está fresquinho, não estou com falta de ar! É Natal, né?

ELOGILDA – Agora eu gostei do papo alto astral. Mudando de assunto, já viu aquele filme lindo sobre o Rio, São Sebastião, a Construção de uma Cidade, vale a...


RECLAMILDA – Elô, olha, olha quem está ali! Pensei que ela estivesse fora do Brasil! Nossa amiga Ana Lisa! Ana Lisa!!! De volta ao Rio?

ANA LISA – Meninas que bom encontrar vocês! Vim só matar saudades, por uns dias... Quero aproveitar para conhecer a Praça Mauá reformada, os museus, dar uma volta no Centro. Depois, para o Galeão! Desta vez sem tiros na Linha Vermelha, espero! Pena que não tem Metrô até lá.

ELOGILDA – Barulho de fogos de artifício, por certo, querida.

RECLAMILDA – (suspiro) Nós também vamos ao museu que parece uma lacraia branca! Dizem que custou uma nota preta... Vamos juntas! Lisa, você que é “antenada”, conta o que acha sobre a situação do país, do Rio?

ELOGILDA – Deixa a Lisa, Rê! Ela veio passear. Além disso, a “situação” está muito boa! Que lacraia, implicante? O museu é lindo, parece que voa, voa para o futuro! Arquiteto renomado. Investimento em cultura é caro mesmo, ora!

ANA LISA – (para Elogilda) Não se preocupe, Elô, deixe a Rê à vontade! (para Reclamilda) Rê, vamos falar de Brasil outro dia? Quanto ao Rio... Bom, o Chacrinha não balança mais a pança, o Rio de Janeiro Continua Lindo, mas tem muito o que melhorar.



Tim Maia - Aquele Abraço - 1993 - Youtube


RECLAMILDA – Também acho! O que consertar primeiro?

ANA LISA – Hum...  Assistência Médica, Transporte, e Ensino Público de qualidade, faltam os três. Um sozinho não basta. A Segurança também vai mal.

ELOGILDA – Você está fora há tanto tempo, como sabe tudo isso?

Foto: Urbe CaRioca

ANA LISA – Elô, com internet a notícia chega na hora! Tem as redes sociais... Aqui comigo foi real, problemas logo nos primeiros dias. Sair do aeroporto já foi um drama! Engarrafamento, arrastão... Depois pra mostrar no peito minha paixão pelo Rio, comprei uma blusa com um “CARIOCA” bem grande, pus sandália de borracha, fui ver o mar... De repente um pivetão passou de bicicleta, arrancou meu cordão dourado, me empurrou, perdi o equilíbrio, caí no chão, ganhei três arranhões, uns roxos, o coração na boca... Perdi a bijuteria, a sandália e a blusa, mas, como diz o ditado, “Vão-se os anéis...” Ganhei a vida!

RECLAMILDA e ELOGILDA – Caramba, que susto!

ANA LISA – Um moço que trabalha por perto disse que o grandão está sempre por ali sozinho ou em grupo. Depois de ser ameaçado com revolver, por um deles, quando a turma chega fica logo de costas pra não ter que testemunhar!

RECLAMILDA – E o que você fez?


ANA LISA – Analisei a situação, comprei outra sandália, fiz um B.O. na delegacia, pelo menos entra para a estatística. Vi seis pastas com fotos... Alguns parecidos, mas, impossível identificar... Ele usava boné...

ELOGILDA – Você perdoou o coitado, tenho certeza, Ana Lisa. É a falta de oportunidade, injustiça social, no fundo são meninos ótimos. Quem sabe ele até já se arrependeu?

RECLAMILDA – (suspiro) Lisa, o Rio tem jeito?

ANA LISA – Queridas, ninguém vai diminuir o amor que tenho pela minha cidade. Comprei outra blusa, já fui passear na Lagoa, vi a Árvore de Natal refeita – menorzinha e bem simpática, não atrapalha a vista do Cristo – e hoje vim ao Centro com ela. Olha aqui, que linda, já posso tirar o casaco!


Foto: Urbe CaRioca



ELOGILDA – Que bom, minha amiga, pode passear no calçadão, o moço deve estar regenerado!

RECLAMILDA – (suspiro) Vai sim, querida, mas sem bijuteria e sem relógio, por favor!

ELOGILDA – Pronto, a Praça Mauá é logo ali, estou doida para ver como ficou sem a Perimetral!

RECLAMILDA – Ouvi dizer que a praça está suja!

ELOGILDA – Que nada, é fofoca, deve estar limpíssima!

ANA LISA – Meninas, chega de discussão, vamos logo aproveitar a vida! Amanhã é véspera de Natal, dia de refletir, curtir a família e renovar a Esperança! Que tal antes do museu um cafezinho carioca? Melhor um refresco? Pena que não tem mais frappé de coco do Simpatia!

Ah! Não respondi! O Rio tem jeito, sim. Que venha 2016! Olha lá a Praça! E o céu, sem a Perimetral!


* Baseada em fatos reais


Internet

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

GUARATIBA: PEU A CAMINHO! – PARTE 2 - COMENTÁRIOS DE CANAGÉ VILHENA

No último dia 15/10 publicamos OPERAÇÃO ESQUISITA: ESPOLIAÇÃO URBANA NAS VARGENS, de Canagé Vilhena. As cores fortes e a visão abrangente do arquiteto explicavam as finalidades de uma Operação Urbana Consorciada-OUC definidas em lei, e questionavam a aplicação desse instrumento urbanístico fora dos objetivos a ele inerentes, mas, para justificar a criação de novos índices construtivos. Depois de GUARATIBA: PEU A CAMINHO! – PARTE 1, quando lembramos que nova lei urbanística em estudos para a região, nesta Parte 2 trazemos mais comentários do mesmo autor sobre o bairro e conceitos urbanísticos que deveriam nortear as propostas a serem encaminhadas ao Poder Legislativo.

Cabe lembrar que, depois do lamaçal no que seria o Campus Fidei a região foi objeto de um relatório elaborado pelo IAB-RJ. Um alento: na CrôniCarioca A SERRINHA ZIGUEZAGUE E O MIRANTE DO ALBUQUERQUE, de 2012, estão memórias de uma época em que Guaratiba era lugar de longos passeios aos domingos, ainda alvo distante da ocupação urbana desenfreada.

Boa leitura.

Urbe CaRioca 

AVALIAÇÃO HIDROGEOLÓGICA DAS REGIÕES ADMINISTRATIVAS DE CAMPO GRANDE E GUARATIBA / RJ 

Jenesca Florencio Vicente; Maria Geralda de Carvalho; Giselle Ramalho Barbosa

Figura 8 - Delimitação preliminar do Aqüífero Guaratiba

XVI Congresso Brasileiro de Águas Subterrâneas, 2010


SOBRE O PEU DE GUARATIBA
CANAGÉ VILHENA

Certamente não será a aprovação de mais um Projeto de Estruturação Urbana - PEU “arrebentar” com o frágil ambiente natural de GUARATIBA que resolverá os problemas urbanos, as questões ambientais, e muito menos irá colaborar com o DESENVOLVIMENTO SOCIAL que se espera da ATIVIDADE URBANÍSTICA seguindo a POLÍTICA URBANA prevista na CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL de 1988.
O que mais impressiona nesse debate é o fato da oposição, na Câmara de Vereadores, não reagir para mudar esta VELHA POLÍTICA de gestão da urbanização, inaugurada por PEREIRA PASSOS no início do século passado, que a Prefeitura do Rio insiste em manter usando remendos no “velho” Código de Obras de 1970, através de PEUs e outras normas afins, para atender unicamente ao crescimento do mercado imobiliário.
Por tudo isto o Prefeito do Rio foi escolhido a PERSONALIDADE DO ANO PELA ADEMI! Por certo CAU-RJ, o IAB-RJ e o SARJ apoiam esta escolha, mais por dependência política do que por agradecimento e compensação, que é o caso da ADEMI.
Infelizmente não há reação organizada contra o método de gestão urbana na Cidade do Rio de Janeiro, que não trata de modo sistêmico dos princípios da Política Urbana da Constituição da República de 1988, que exige um planejamento geral tendo como última fase deste a legislação urbanística e edilícia.
Se a Lei Orgânica do Município, em 1990, acabou com o privilégio do prefeito de legislar por decretos no caso de uso e ocupação do solo, entre outras matérias, a atual correlação de forças na Câmara permite que se aprovem Leis Complementares com a mesma facilidade com que se editavam os antigos decretos sobre índices urbanísticos, até então prerrogativa do Poder Executivo. Por isso é urgente o surgimento de ações coletivas, e organizadas pela oposição geral, contra os desmandos do prefeito.
Nesse sentido os moradores da Ilha do Governador e da Ilha de Guaratiba têm reagido contra a aprovação dos respectivos PEUs em tramitação e em estudos, iniciativa que merece aplausos, apoio, e divulgação, de modo a ser conhecida e adotada em outras regiões do Rio.

AMIG - Associação de Moradores da Ilha de Guaratiba

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

O MÊS NO URBE CARIOCA – NOVEMBRO 2015



Canagé Vilhena

Em NOVEMBRO várias postagens tiveram grande repercussão, em especial METRÔ, LINHA 2 – UMA VISITA À ESTAÇÃO CARIOCA, ADEUS, CINEMA LEBLON!, e AS ÁRVORES E O BURGOMESTRE LENHADOR, este uma fábula urbano-carioca que alude ao atual presidente do C40 e suas ações voltadas para o Meio Ambiente na Cidade do Rio de Janeiro.



O Campo de Golfe voltou a estas páginas virtuais acompanhado de um prognóstico incrível. A Roda-Gigante mais uma vez assombra a paisagem do Rio. Preciosos achados foram, infelizmente, perdidos devido à pequenez dos gestores públicos, causando tristeza e indignação.

Agradecemos a Felipe Pires pelo envio de O RIO DE JANEIRO E O PLANEJAMENTO URBANO MERCADOLÓGICO, a Carla Crocchi pelo poético e certeiro A RODA GIGANTE E O PÉ DE FEIJÃO, e a Sonia Rabello e Mario Moscatelli que gentilmente autorizaram a reprodução de textos muito importantes.

Boa leitura.
Urbe CaRioca

Condomínio Alfabarra, Barra da Tijuca
Foto: Mário Moscatelli


  NOVEMBRO 2015